Parafernalhas é tudo que você imagina, desde as coisas mais antigas até as novidades. Então, sou música, notícias, moda, viagens, emoções, pensamentos, cinema...... e até aquela receita básica.

25 de abril de 2010

20 de abril de 2010






Li por aí ....
Nos anos 1950, um médico de ouvido, garganta e nariz chamado Albert Tomatis começou a tendência, alegando que o uso da música de Mozart foi um sucesso para ajudar pessoas com distúrbios de fala e de audição. Nos anos 90, 36 estudantes  em um estudo da Universidade da Califórnia em Irvine ouviram 10 minutos de uma sonata de Mozart antes de fazerem um teste de QI. De acordo com Gordon Shaw, o psicólogo encarregado do estudo, a pontuação dos estudantes subiu em torno de oito pontos. O efeito Mozart acabava de nascer. 
O Efeito Mozart é um termo cunhado por Tomatis para um alegado aumento no desenvolvimento cerebral que ocorre em crianças com menos de 3 anos, quando elas ouvem música de  Mozart.
The Baby Einstein Company é líder mundial em mídia de desenvolvimento e produtos para bebês e crianças. Sim, incorpora arte, música e poesia clássica, é uma franquia de 1 milhão de dólares. Pouco, né?
Há até CDs de música clássica criados para ser tocados durante a gravidez, para o feto em desenvolvimento.
Pais compram os produtos porque acreditam que a exposição à grande arte (como os DVDs e CDs Baby Mozart) pode ser bom para o desenvolvimento cognitivo de seus filhos.

Impressionante, acho isso uma bobagem, tanta coisa precisando ser mudada no mundo e pessoas perdem tempo achando que ouvir música clássica deixa a crianças, pessoas  mais inteligentes, claro que isso é um mito, mas um mito que custa caro.
Há evidências que mostram que aprender um instrumento melhora a concentração, a auto-confiança e a coordenação. Acredito que quem gosta de música clássica tem o ouvido um pouco mais afinado do que uma pessoa que não gosta, isso não quer dizer que ouvir clássicos como Beethoven, Mozart, Strauss, Chopin, Bach, Vivaldi...Torna a pessoa mais inteligentes ou menos, melhor ou pior, tudo é uma questão de gosto e gosto não se discute. Voltando ao raciocínio sobre a música na infância, acredito sim que crianças ficam mais calminhas ouvindo música, acho que serve para elas se acostumarem com barulhos externos. Quando estava grávida, colocava música para meu BB ouvir( com 22 anos continua sendo meu BB )...e Ela é tão normal quanto outras que não ouviram, tem que estudar, se dedicar para conseguir o que quer. Sim, ela adora música, tanto quanto eu, não sei se tem a ver com o fato de ter ouvido quando era uma sementinha ou se gosta por gostar.
Então a dica para quem está grávida ou grávido é: Coloque música para seus BBs, não importa que seja Mozart ou Chico Buarque, o importante é você saber que seu filho(a) vai precisar de muitas outras coisas além da música para sobreviver neste mundo doido, ter coragem e sabedoria hoje em dia é fundamental.
E a dica para os adultos, pais ou filhos é: Ouça música, cante, dance ... como dizia Raul Seixas - Veja! Não diga que a canção /Está perdida/Tenha em fé em Deus/Tenha fé na vida...


Mais uns versos da canção de Raul ...

Quero ser o homem que sou


Sim, quero ser o homem que sou
Sim, quero ser o homem que sou!!
Mas...dizendo a verdade
Somente a verdade
Dizendo a verdade
Somente a verdade
Esse gênio esboçado, essa criança louca
Esse filho da dor
Que foi capaz de erguer do lodo
Uma voz rouca e um canto de amor
Enquanto geme e chora
Mata e mente, acusa e defende
Deixa ficar pra trás
Na sua jornada uma canção de glória!!
Dizendo a verdade...

Cada um é o que tem que ser.

Não consigo escrever poesia: não sou poeta. Não consigo dispor as palavras com tal arte que elas reflitam as sombras e a luz,não sou pintor...Mas consigo fazer tudo isso com a música...